Um ano depois…

03/09/2016

Vida em Camphill é uma coisa engraçada.

Você chega cheio de idéias, planos, vontades, certezas… e quando percebe dois anos se passaram, você está prestes a começar mais um ano e todas mal consegue se lembrar de todas aquelas vontades iniciais.

Para esse ano eu só tinha duas vontades: Primeiramente eu queria um ano sem estresse, calmo como a vida no campo deve ser. Em menos de 48 horas já estava envolto em crises. Cortesia de namorar seu House Parent e ter que dividir a cama com quem te diz que horas deve acordar. Nessas horas eu entendo porque a maioria das relações por aqui são um fracasso. Ou os casais vivem de aparências ou de crises… é muito complicado ter uma relação saudável e ainda assim dedicar todo o tempo que a comunidade exige que você dedique. Felizmente todo o estresse até o momento é fácil de contornar, mas não estou ansioso para ver como será no resto do ano. Meu namorado me disse uns dias atrás: veja pelo lado positivo, se estivermos juntos até o final do ano quer dizer que conseguimos passar por qualquer coisa. Não tenho como concordar mais.

Minha segunda vontade era ter um ano mais sociável. Ano passado tive muitos problemas com os voluntários mais jovens que viam a vida em Beaver Run como uma forma de ter férias pagas nos Estados Unidos longe dos pais por um ano. Eu não consigo respeitar isso e ainda acho que essa postura torna a vida de todo mundo muito difícil. Outra coisa que não consigo fazer é ficar com minha boca fechada, por isso tive muito atrito durante o ano com eles… mas não quero isso esse ano, então estava ansioso para estabelecer uma boa camaradagem e  uma boa comunicação com os novatos logo de cara. Essa vontade durou menos de 24 horas, pois logo na primeira noite eu caí doente e fiquei uma semana de cama. Acabou que, não somente perdi a oportunidade de socializar com todo mundo depois do horário de trabalho, não pude colaborar com o trabalho pesado na casa também o que criou uma inimizade instantânea com os novatos da minha casa. “Porque a gente tem que pintar a casa toda enquanto ele está no quarto fazendo coisa no computador?”. Não tenho como julgar eles. Aposto que eu pensaria o mesmo se os papeis fossem invertidos.

Foi uma primeira semana bem difícil.

Mas ainda tenho 51 semanas pela frente para fazer tudo ficar bem.

 

 

Eu nunca imaginei que passar um ano em um Camphill mudaria tanto a minha vida.

Morar um ano na The Sheiling Ringwood, na Inglaterra, me mostrou um novo modo de vida e agora inicio meu segundo ciclo nesse mundo. Desta vez na Beaver Run Camphill Special School, nos Estados Unidos.

“You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one” é o que me vem na cabeça sempre que penso sobre minha vida atual. Óbvio que a utopia cantada por John Lennon não existe, mas eu vejo a vida em um Camphill como o mais próximo disso possível. Uma comunidade igualitária, que honra a natureza, que busca o equilíbrio e a elevação espiritual do ser humano, que é inclusiva e que, acima de tudo, existe em harmonia com o mundo atual.Mikes002

É difícil acreditar que um lugar sem uma administração única e que não trabalha com a pirâmide hierárquica tão difundida em palestras sobre sociologia possa existir. Eu mesmo não consigo entender como isso é possível, mas a verdade é que existe. O que as comunidades Camphill espalhadas pelo mundo mostram é que existe opção. Apesar da pressão do Governo, apesar da falta de dinheiro constante, apresar da falta de compreensão de grande parte da popular, existe uma opção. Você não precisa viver da forma que querem que você viva. Você não precisa de luxo para ser feliz. Dedicar seu tempo e sua energia para o desenvolvimento do ser-humano vai te trazer muito mais satisfação do que o novo iPhone. Vai por mim.

Ao longo dos próximos quatro anos estudarei Curative Education aqui em Beaver Run e espero conseguir encontrar uma resposta teórica para a pergunta que martela na minha cabeça há mais de um ano: O que torna este lugar tão especial?

Eu sei a resposta. Eu sinto. Para mim é muito simples apesar de inexplicável. Camphill é um lugar especial. É um lugar que inspirador que te proporciona um ambiente seguro e acolhedor que te faz amadurecer. Com o amadurecimento vem o equilíbrio. Então você encontra a paz.

Existe opção. Você pode optar por uma cidade grande cheia de comodidades ou por um lugar que te traz paz de espírito.

Vida nova. Camphill novo.

Estou pronto para começar este ciclo.

Warner Bros. Studio Tour London – The Making of Harry Potter é um passeio essencial para todos que se consideram fãs de Harry Potter.

A primeira vez que visitei o tour, pesquisei informações na internet e acabei me ferrando. Por esse motivo decidi montar esse texto com dicas para você aproveitar ao máximo essa exposição.

Pega seu bloquinho de notas e vamos lá!

Leia o resto deste post »

%d blogueiros gostam disto: