Warner Bros. Studio Tour London – The Making of Harry Potter é um passeio essencial para todos que se consideram fãs de Harry Potter.

A primeira vez que visitei o tour, pesquisei informações na internet e acabei me ferrando. Por esse motivo decidi montar esse texto com dicas para você aproveitar ao máximo essa exposição.

Pega seu bloquinho de notas e vamos lá!

Leia o resto deste post »

E aí meio que confirmaram o Jason Momoa como Aquaman nos futuros filmes da DC e os fanboys já começaram o mimimi.

“Mas nem loiro ele é!” — como se o tapete combinasse com a cortina de toda loira que a gente vê na rua, né?

Como grande fã do ator decidi defende-lo, pois acho que ele já cansou de mostrar seu talento em séries de TV e filmes para o cinema. Acompanha comigo!

JASON-MOMOA-AQUAMAN

Desde novinho ele já demonstrava sua familiaridade com a água enquanto corria em câmera lenta pelas praias de Baywatch. Depois ele começou a usar os cabelos compridos e mostrou que sabe surfar em North Shore. Ele também foi um soldado em Stargate Atlantis (catou? Atlantis… Aquaman…) e eu acho que poderia parar por aí, não fosse ele ter provado que pode ser um rei durão em Conan. Só para arrematar ele é uma das melhores coisas que já aconteceu em Game of Thrones e, olha só, ele era o rei fodão Khal Drogo!

Deixem de mimimi e só imaginem ele como o Arthur Curry nessa fase que coloquei na montagem. O Rei dos Sete Mares experiente, vivido, e cansando da zona que o povo da terra seca vive fazendo nos mares.

Vai ser excelente!

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2014) – ★★

HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHOMeu principal problema com esse filme é que o diretor Daniel Ribeiro já contou essa história de forma belíssima no curta-metragem Eu Não Quero Voltar Sozinho.

Pode parecer estúpido, mas todos os meus professores de roteiro sempre diziam: uma história deve ser contada no tempo necessário para ser contada. Ou seja, se a história do garoto Leonardo já foi contada em 15 minutos, tudo o que o longa metragem faz é esticar a trama e enche-la de clichês desnecessários.

Desde uma piriguete que não tem função narrativa nenhuma, até um vilão que só está lá para ser babaca e também não interfere na narrativa, até situações estúpidas do cotidiano da escola que só servem para criar situações que não interferem na evolução dos personagens. Discorda?

Leia o resto deste post »

%d blogueiros gostam disto: